segunda-feira, 23 de junho de 2014

·         Imprimir
·         E-mail
Categoria: Ultimas Noticias
Publicado em Segunda, 16 Junho 2014 16:02
Acessos: 3781
O CNG/FASUBRA, reunido no dia 11/06, fez um levantamento sobre o andamento das negociações acerca da redução da jornada de trabalho com turnos contínuos que estão ocorrendo nesse momento.  
Como esta demanda já é tema de debate há tempo na categoria, sabemos, inclusive, que existem entidades em fase de implementação da jornada, de acordo com a aferição da Direção Nacional da Fasubra e dos informes que chegaram até o CNG. 
Logo abaixo listamos Instituições que avançaram com a greve o processo de negociação sobre turnos contínuos com redução de jornada (30h), umas estão iniciando o processo outras estão bem mais avançadas: UFAM, UFRA, UFOPA, UFAC, UFMA, UFRN, UFRNE, UFPE, UFC, UFERSA, UFCG, UFT, UFTM, UFRJ, UNIRIO, UFABC, UFOP, UFRB, UNILA, UFFS, FURG, UFG.  
Instituições em que há forte movimento, mas a reitoria não apresenta no momento abertura para diálogo para negociar turnos contínuos e jornada: UnB, UFSC, UFLA, UFRGS. É possível notar que a luta pelos turnos contínuos e redução da jornada avançou significativamente no período da greve. Embora as negociações estejam se dando entre os sindicatos de base e as reitorias de cada universidade, trata-se de um ponto da nossa pauta nacional. Em geral, as negociações encontram uma correlação de forças mais favorável para avançar com as reitorias do que com o governo federal.
A principal tarefa colocada para o CNG/FASUBRA e comandos locais é acompanhar, intensificar e apostar nessas negociações com o objetivo de ampliarmos o numero de IFES no qual se estabeleçam os turnos contínuos e a redução da jornada sem redução de salários.
As entidades de base e comandos locais podem e devem reproduzir a cartilha: “TURNOS CONTINUOS e REDUÇÃO DA JORNADA”, para aumentar a mobilização e o entendimento da categoria sobre o tema.  
O CNG/FASUBRA está à disposição dos comandos locais para acompanhar, contribuir e tirar dúvidas sobre aspectos legais e políticos que possam surgir nas negociações em curso.
Caso haja outras instituições que tenham informes que não constam nesse informativo de greve, por favor, nos envie para darmos publicidade.


Nenhum comentário:

Postar um comentário